O panfletinho colorido!

UFA!

Finalmente a Prefeitura Municipal de Capitão Enéas, aqui no norte do Estado de Minas Gerais, parece se dar conta da problemática da escassez d´água e adotou a campanha “CAPITÃO ENÉAS UNIDA para economizar. Não desperdice, faça a sua parte!”.

        Li e reli o panfletinho colorido no afã de ser convencida pelo seu conteúdo. No entanto, observo que ele não traz nenhuma novidade, que já não seja rotineira para as famílias assalariadas: economizar, principalmente em se tratando das altas taxas cobradas pela COPASA.

O panfletinho da campanha chama a atenção pelo seu conteúdo e por adotar diversas cores e desenhos. Até aí tudo parece normal. Entretanto, o seu conteúdo não retrata a realidade da maioria da População local, que parece extraído de alguma publicação facilmente encontrada na internet que criação própria da Secretaria Municipal de Comunicação.

O panfletinho colorido é dirigido àqueles que têm renda, ou seja, pessoas ou famílias que usufruem de poder de compra que a maioria da população municipal não tem, como por exemplo, carro para ser lavado, gramados e jardins para serem regados, carnes a ser congeladas, máquina de lavar louça.

Quando andamos pelo Município, ainda encontramos famílias tomando banho de balde, cano ou bacia. Ainda encontramos latrinas, assim como muitas pessoas infectadas pelo barbeiro.

Gramados e jardins são para meia dúzia de abastados, já que os poucos espaços domésticos são usados para cultivar plantas comestíveis, medicinais e alguma roseira. A carne comprada geralmente é consumida no mesmo dia, pois as condições econômicas não permitem estoques no congelador.

Por sua vez, o panfletinho colorido pode ser um grave problema ambiental, porque fatalmente irá para o lixo. Ao ser decomposto liberará na natureza os metais pesados das tintas coloridas usadas nas suas mensagens (letras e figuras).

Na minha opinião, não basta distribuir panfletinho colorido para resolver o problema da escassez d´água.

Nós já inauguramos uma nova era climática: a era da escassez de recursos naturais e de violentas mudanças ambientais, acompanhadas da desertificação.

A disputa pelos recursos remanescentes já está em curso. Sendo assim, deve-se levar em conta que não é mais possível migrar das zonas áridas para os centros urbanos em colapso. E mais: cabe ao Poder Público assumir o papel de gestor desses recursos com ampla participação da população afetada, assegurando a igualdade, o acesso às informações e a transparência.

O Município de Capitão Enéas (assim como tantos outros Municípios Norte Mineiros) é obrigado a assumir a problemática da escassez d´água falando e agindo com seriedade.

Muitos já desconfiam que o estoque de água no Município não é suficiente para manter grandes plantios irrigados como por exemplo, o eucalipto, tampouco a criação extensiva de gado de corte.

Diante desse quadro é preciso atitude para assegurar o direito humano à água, a coragem e clareza necessária para admitir que o estoque de água ainda disponível não pode ser usado para enriquecer a alguns.

Por isso Senhor Prefeito, é preciso seriedade e responsabilidade administrativas para tratar deste assunto com a toda população, com os Municípios vizinhos e com os Comitês de Bacias hidrográficas.

O tempo urge!

Precisamos de política pública transparente, que se posicione claramente em favor da vida, contra a continuidade do desflorestamento, da derrubada de matas nativas para produção de carvão e plantação de capim e eucalipto, contra o uso indiscriminado de pivôs, contra a derrubada de vegetação dos topos e das encostas, como também contra o uso abusivo de agrotóxicos que têm contribuído para a perda de valiosos estoques de solos.

Prefeito, o combate ao desperdício e o cumprimento do dever de garantir o acesso à água em tempo de escassez, não se faz com a distribuição de panfletinhos coloridos de conteúdo alheio à realidade do Sertanejo.

É preciso dar nome aos bois, responsabilizar quem preciso for, e adotar a transparência para discutir e planejar como vamos enfrentar a redução das chuvas, a escassez d´água e a desertificação.

É preciso que a Prefeitura de Capitão Enéas faça a sua parte. É preciso que o Município seja de fato e de direito UM MUNICIPIO PARA TODOS, igualmente.

Texto e fotos: Terezinha Souto em Aqui Onde Eu Moro.

Palavras-chaves: panfleto, Capitão Enéas, economizar, desperdício, COPASA, internet, gramado, jardins, poder de compra, assalariados, latrina, barbeiro, mudanças climáticas, desertificação, escassez, eucalipto, capim, bacia hidrográfica, comitê de bacia, pivôs, transparência, igualdade, ÁGUA, agrotóxico, topos e encostas, terra.

Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em POLÍTICA e marcado , . Guardar link permanente.

Aqui Onde Eu Moro

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s