Ode às Mulheres

Sou mulher!

Nasci como um hardware novo,

organismo inteligente, dotado de informação inatas, inativas a ativar.

Novas lutas, novos amores!

Nasci uma tela em branco do artista,

a ser preenchida com traços, cores, poesias.

Nasci um silêncio do poeta,

a inspirar versos com emoção.

Nasci um vazio do universo, de caminhos, estrelas, direções.

MARIA, MARIA!

Nasci mulher.

E como pessoa mulher vou ativando este corpo

que me fala seja de dia, seja de noite, da vida de ser mulher.

Nasci Mulher.

E assim vou pintando

a tela de minha alma feminina que,

como uma espécie do Cerrado, também aprende ter casca grossa

para ir se protegendo do fogo, do facão e das foices do viver.

SOS BIOMA CERRADO

Nasci Mulher,

e assim vou construindo versos em prosa

Como a morte e vida severina dos versos de João Cabral de Melo Neto

Como a liberdade de Cecília Meireles

Como a mulher da Janela de Adelia Prado.

Assim também, como todas Nós, Marias!

As Marias que vão se revelando

poetisas nos cabelos brancos de Cora Coralina.

Simplesmente Antônia !

Ah, somos tantas Marias!!!

E assim vamos preenchendo o vazio

deste Universo que se revela

diverso, plural e belo.

De Natureza generosa, dura e flexível,

de solo pisado,que renasce do fogo,

resiste aos ácidos dos venenos hand-up

insistindo brotar

O CERRADO PEDE SOCORRO!

 enfim, florir!

Flôres de Cacau

Texto e fotografia de Terezinha Souto março de 2013.

Anúncios
Esse post foi publicado em HOMENAGEM e marcado . Guardar link permanente.

Aqui Onde Eu Moro

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s