Ecologia de Garças.

Fragmentos.

A  imagem de uma Garça é coisa recente para mim. Pouco mais de seis anos.Vez ou outra, Eu via Garças entre o gadinho de meu irmão Délio Aqui Onde Eu Moro. Aquela proximidade me deixava curiosa. Afinal, qual relação há entre esses animais, se o habitat preferido de Garça é à beira d´água?

Creio foi o Carlos Gomes quem me disse, que o gado espanta os insetos do pasto enquanto anda para se alimentar. Ao tentar fugir do vegetal prestes a ser comido pelo Gado, o inseto salta ou voa. Nesse momento ele é captura por Garças. Insetos fazem parte da dieta dessas Aves.Carregando foto

Há também a versão de que a Garça come o carrapado do gado. Fui ver de perto e pelo pouco que observei, as Garças andam ao lado ou atrás do gado sempre capturando algo.

Carregando foto

Nesse periodo, Eu também vi Garças, dezenas delas, dentro de Lagoa com água de finalzinho de outono-inverno, capturando peixes que lutavam pela vida no filete de água. Isso foi meado do mês de julho de 2008.

Depois disso, enquanto caminhava ao lado da ferrovia, vez ou outra, Eu via Garças voando alto, no sentido sudeste/norte e desejava a oportunidade de fotografar aquela cena.

Um destino me fez chegar a um Ninhal bem de pertinho e sentir a emoção de fotografar o sobrevôo de Garças em gestação coletiva. Outro destino que fez voltar àquele mesmo Ninhal e ver no horizonte não distante e à luz do crepúsculo, Garças retornando em bandos, em vôos harmoniosos e sincronizados como aviões, que aterrizam e decolam cronometricamente. Aviões são pássaro gélido de vôo solitário.

Mas, nem tudo é poesia num Berçario de Garças, pois como os humanos, na vida das Garças também ocorrem acidentes. Os bebês e os adolescentes-garça também são vítimas de acidentes domésticos, da prematuridade, da ausência dos mais velhos, de doenças, da fome, da falta de cuidado, do desprepado ou incapacidade dos Pais, ou qualquer outro fator, como simplesmente, o ataque de Gavião.

Há faixas etárias num Ninhal de Garças. Os galhos de árvores espinhosas servem  de  suporte para a fixação dos ninhos, que segundo Seu Aguinaldo não são renovados para servir à nova gestação.

Já gastos, alguns ninhos não oferecem a segurança necessária. Alguns bebês assustados e adolescentes-garça desajeitados escapolem dos ninhos. Uns caem no chão e morrem.

Os mais fortinhos conseguem sobrevoar e alcançam galhos mais altos. Outros vagam debaixo das árvores. Outros acabam se espetando nos espinhos e morrem, outros conseguem retornar ao ninho e esperar por amparo.

Carregando foto          Carregando foto

Carregando foto            Carregando foto

Carregando foto   Carregando fotoCarregando foto                        Carregando foto

Nesta segunda-feira de carnaval 2013 avistei o Ninhal da Barroquinha de longe, já bastante vazio. Depois, olhando o horizonte de Céu azul de poucas nuvens já no final da Carregando fototarde, vejo Elas, as Garças, a maioria em bando, retornando de lagoas e pastos para o Ninhal. Fico tentada a parar e observar o modo de vida desses animais mais uma vez. Mas, prossigo a viagem.

Carregando fotoHoje, que no calendário católico é “quarta-feira de cinza”, avistei o Ninhal da rodovia. Parei para observar um pouco a movimentação das Garças. Naquele momento pareceu-me que as mães-garças estavam ensinando aos filhos a voar e se alimentar: numa baixada próxima ao Ninhal, um Bando levantava vôo rasante e pousava, todos juntos, num treino organizadamente.  Ficaram por ali algum tempo possivelmente se alimentando e recebendo mais instruções de sobrevivência. Na sequência, as Garças alçaram novo vôo raso, pousando próximo de onde estava, dando a entender que realmente se tratava de um aprendizado.

Enfim, sei que sei muito pouco ou quase nada sobre esses animais. Por isso, este texto, fruto de algumas observações visuais, é um fragmento da história recente de um Ninhal de Garças. Fragmento da história, pois afinal, como saber sobre as relações de parentesco, inter-garças, econômico-sociais e politicas destes Animais, sem uma proximidade prolongada?

Fotografar e escrever sobre um Bercário de Garças foi uma experiência gratificante, a qual, devo em parte a Marliete e sua Mãe que sugeriram o tema.

Neste sentido, cabe lembrar o mestre Francês da Fotografia, Henri Cartier Bresson segundo qual, “s, fotógrafos, lidamos com coisas que estão continuamente desaparecendo e, uma vez desaparecidas, não há mecanismo no mundo capaz de fazê-Ias voltar outra vez. Não podemos revelar ou copiar uma memória“.

Podemos porém, exteriorizar nossa memória registrando e revelando os acontecimentos simbolicamente, deixando à mostra fragmento de um todo universal que existe dentro de cada um de Nós.

Carregando fotoNesta experiência procurei exercitar a fotografia e a escrita um pouco mais. Conheci pessoas, e, é claro, interagi com esses belos animais, que vivem em bando, voam em bando e na mesma direção, sincronizadamente. Diferentemente da Sociedade Humana, que cada vez mais vai se privatizando e se privando de riquezas cada vez mais raras, como é o caso da sinceridade e de bens ambientais não renováveis, numa futilidade e ganância que impressionam.

As Garças encolhem o pescoço e alongam o corpo para voar. Observar o vôo das Garças é se permitir respirar livremente e esvaziar o pensamento para apenas e simplesmente se deliciar com o espetáculo que é o vôo desses Animais.

Leia mais acessando:

https://aquiondeeumoro.wordpress.com/2012/12/23/o-ninhal-e-a-fotografia/

https://aquiondeeumoro.wordpress.com/2012/12/26/depois-da-chuva-no-sertao/

Caro(a) Internauta, espero que tenha gostado desta Postagem. Obrigada pela visita e até a próxima.

Anúncios
Galeria | Esse post foi publicado em HOMENAGEM. Bookmark o link permanente.

Aqui Onde Eu Moro

Faça o login usando um destes métodos para comentar:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s